Publicado em 17.03.2023
OUTROEU lança “A Mágica Por Trás da Forma”, terceiro álbum de estúdio da dupla

OUTROEU apresenta hoje ao público o álbum A Mágica Por Trás da Forma (Universal Music). O material chega acompanhado do audiovisual de Meu Bem, música de trabalho, que é uma composição de Mike, Guto e Nanno, e contou com a direção da dupla GAFE (Gabi Lisboa e Felipe Gomes) em um roteiro que mostra Mike, Guto, o amigo alienígena Bilu e, claro, Nano, num dia difícil para Bilu, que mais uma vez está com o coração partido. O desenrolar desta história pode ser conferida no canal da banda no Youtube.

O novo trabalho estreia, após Mike e Guto lançarem, ainda em 2022, os singles Delírio – feat. Clarissa, Ninguém Precisa Saber, Praia, com a participação de Lulu Santos e a recente, Terminei, em fevereiro de 2023, acompanhada da voz de Anna Pêgo. Todas fazem parte do disco e, somadas às inéditas, totalizam 15 faixas, compostas pelos próprios artistas, algumas em parceria e outras apenas pela dupla. Há mais de um ano os músicos trabalham na produção deste, que promete ser um álbum mais diverso musicalmente, o duo garante que a sonoridade será um pouco mais pop, mas sem deixar para trás a trajetória construída ao longo dos anos.

Para Guto, o álbum é resultado de uma grande vontade de se reinventarem sonoramente: “’A Mágica Por Trás da Forma’ é um trabalho bem diferente de tudo o que já fizemos até agora, este álbum tem um quê de pop, com elementos do rock, indie, synth-pop sem deixar de lado o jeito OUTROEU de ser. É o primeiro álbum que assinamos a produção em colaboração com o Tulião (Túlio Airold), que é um baita produtor musical e, antes de tudo, nosso empresário” – resume Guto, que ainda explica o motivo do nome do novo disco:  “Esse nome é meio que uma indagação do porquê de tanta coisa mágica acontecer com a gente, os encontros, as coincidências – ou não. Espero que, quem ouvir curta, do mesmo jeito que estamos curtindo.

” – finaliza.

Já Mike faz um balanço do que o lançamento representa na história atual da dupla: “Tenho a sensação de que este álbum parece que é um pouco do nosso passado, bastante do presente e muito do nosso futuro. Começamos antes da pandemia e acabamos quando tudo já estava sob controle, esse conteúdo musical também fala muito do jeito que fomos amadurecendo no jeito de tirar som. Nós, nos nossos estúdios, compondo por bases, pouco violão, do jeito que fomos naturalmente desenvolvendo pelas circunstâncias. A produção foi feita pelo Tulio Airoldi, nosso “terceiro eu” que, numericamente, coincidiu em estar produzindo nosso terceiro álbum. Compartilhamos muito a coisa dos arranjos e produção neste álbum, mas ele foi o head da produção.

Post arquivado em Música Brasileira