Publicado em 19.05.2023
FURIA lança documentário sobre histórica lineup feminina de CS:GO em busca do Mundial

Com lendária formação que encantou o Brasil, Panteras são as protagonistas de ‘Gaming Queens’

Vitórias heróicas, 12 títulos em um ano, quebras de paradigmas e uma lineup que entrou para história. Em 2022, o time feminino de CS:GO da FURIA formado por kaahSENSEI, GaBi, Izaa, Olga e Mari foi dominante no cenário nacional. No mundo, só uma equipe havia tankado as Panteras: Nigma Galaxy, que venceu duas finais do ESL Impact até a última competição do ano. E a busca pela consagração internacional, no berço do Counter-Strike (Suécia), é o rush que guia o documentário ‘Gaming Queens’, que estreia nesta quarta-feira (17), na Red Bull TV, por meio do link https://www.redbull.com/br-pt/films/gaming-queens .

Dirigido e produzido por mulheres (Beatriz Scavazzini e Ligia Osorio, respectivamente), o filme de 36 minutos aborda os sonhos, desejos, alegrias e tristezas da equipe feminina de CS:GO da FURIA, que encantou os fãs de eSports, no último ano. Filmado na Suécia, na Dinamarca e no Brasil, Gaming Queens mostra os bastidores da preparação da lineup antes da disputa do ESL Impact, em Jönköping (SWE), no final de novembro. Treinamentos diários das 10h às 21h, detalhes de posicionamento, trabalho psicológico de Bruna Airini e amizade além dos teclados dão ritmo à narrativa.

Nós aprendemos muito sobre o cenário europeu. Eu acho que o nosso jogo e mindset estão diferentes. Estou muito feliz de estar aqui novamente, nos colocando à prova”, afirma Karina ‘kaahSENSEI’ Takahashi, em trecho do documentário.

Muito mais do que um jogo!

Meu desafio era jogar a minha primeira lan ou ganhar o meu primeiro campeonato. Aí, eu consegui. E tenho o desafio que é jogar de igual para igual com os times masculinos. Esse, eu ainda estou na luta, assim como ganhar o Mundial”. A frase de Izaa expressa uma das principais mensagens que o documentário trata, de modo que a lineup feminina sirva de inspiração para as mulheres que sonham em conquistar todos os espaços que desejam. No último ano, aliás, a equipe teve mais de 1.13 milhão de horas assistidas, figurando no Top 10 de times femininos mais assistidos e sendo o único de Counter Strike: Global Offensive, segundo Esports Charts.

Já entre as participações especiais, Gabs Freindorfer, que voltou ao cenário competitivo, esteve presente no documentário como uma das conselheiras e torcedoras da equipe. O conteúdo ainda traz a atuação da GaBi durante a final mundial do Red Bull Flick, em Copenhagen (DNK), ao lado de Drop, e como os cenários brasileiro e internacional se diferem, principalmente, na Suécia, que transmite em TV Aberta as partidas de CS:GO.

O documentário Gaming Queens está disponível gratuita e exclusivamente pela plataforma de streaming Red Bull TV, em português, por meio do link https://www.redbull.com/br-pt/films/gaming-queens .

Post arquivado em Games