Publicado em 27.03.2024
Com voz de Bella Chiang, animação A Menina E O Dragão vai levar muita magia e diversão para os cinemas

O longa chega aos cinemas brasileiros em 30 de maio com distribuição da Imagem Filmes.

Baseado no livro infanto-juvenil de sucesso de Carole Wilkinson, A Menina E O Dragão traz uma história de aventura que nasce a partir de uma amizade improvável entre uma criança e um dragão. Com direção de Jianping Li e Salvador Simó, o filme chega aos cinemas em 30 de maio, com distribuição da Imagem Filmes.

https://www.youtube.com/watch?v=yuHdUxv0Fak

O filme conta a história de Ping, uma jovem órfã, na China imperial, onde humanos e dragões não são mais amigos e as criaturas mágicas foram caçadas e aprisionadas, apesar de sua grande sabedoria. Em uma fortaleza isolada, a menina encontra um dragão e foge ao lado dele em busca do último ovo de dragão, que foi roubado por um feiticeiro com sede de poder. A personagem Ping é dublada por Bella Chiang na versão brasileira. A atriz, que já trabalhou em ‘As Aventuras de Poliana’ e ‘Escola de Gênios’, é bastante conhecida pelo público adolescente e conta com mais de 1 milhão de seguidores nas redes sociais.

“Minha experiência foi incrível e, ao mesmo tempo, desafiadora. Dar a voz para a Ping, uma garota tão destemida, teimosa e corajosa foi trabalhoso! Muitas reações e falas que requisitavam um grande esforço por conta da ação da cena. No geral, eu me diverti muito e foi surreal viver, mesmo que por uma tela, um pouquinho da jornada da Ping”, revelou a atriz Bella Chiang.

Coprodução entre Espanha e China, o longa se valeu dos melhores profissionais de cada um dos países para transformar o livro de Wilkinson numa história mágica, divertida, repleta de aventura, descobertas e amadurecimento. “A história deve ser sempre a primeira preocupação, e a animação em si é apenas uma ferramenta para aumentar o seu apelo. Nossa principal preocupação era criar uma experiência inesquecível para o público, oferecendo uma ‘montanha-russa de emoções’ que ia da felicidade e medo à emoção e alegria”, explica o diretor Salvador Simó.

Post arquivado em Filmes, Notícias